Número total de visualizações de página

segunda-feira, 20 de abril de 2015

ESCAPADINHA AO FUNCHAL - ILHA DA MADEIRA

Em Abril, eu e mais duas amigas que não conheciam a Madeira, resolvemos fazer uma escapadinha ao Funchal e, com a nossa tarimba de viagens e umas boas sapatilhas... ajudadas pelo teleférico e vários túneis existente conseguimos passear e ver imenso daquele Funchal tão bonito.
Cá estamos nós, eu, a Graça Gaio e a Neli Cruz, em Lisboa, antes de embarcar...



A viagem decorreu muito bem, chegámos ainda pela manhã, ao Funchal o que nos permitiu iniciar logo os passeios. 
Da parte da manhã andámos por perto do nosso Hotel, que se situava mesmo na baixa e fomos visitar o Mercado dos Lavradores, icon do Funchal que nos deliciou. É um edifício lindíssimo, histórico e é uma obra que preserva a arquitectura tradicional do Estado Novo, num estilo que oscila entre a Art Déco dos anos 30 e o Modernismo.
Estava cheio de movimento, muitos vendedores e vendedoras, muitos compradores ou pelo menos a ver... pois era tudo caríssimo, e muitos turistas.










Há muitas mais fotos que poderão ver na minha reportagem ...

Nessa primeira tarde fizémos uma excursão que nos levou a conhecer sítios lindíssimos. Iniciámos o percurso com uma paragem no Pico de Barcelos de onde, do seu Miradouro, tivémos vistas lindíssimas para a cidade e onde pudémos fazer inúmeras fotos.
Salientava-se uma Igreja que me chamou a atenção e questionando o nosso motorista/guia ele m explicou que era a Igreja onde o Cristinao Ronaldo tinha sido baptizado...



Aqui, neste miradouro,  estávamos a uma altitude de cerca de 355 metros.

Fomos subindo com destino ao Miradouro da Eira do Serrado.
Situado a uma altitude de 1095m de altitude oferece um deslumbrante panorama sobre a freguesia do Curral das Freiras.
Este miradouro, situado no interior montanhoso do concelho de Câmara de Lobos, no "coração" da ilha, deixa-nos ter uma soberba panorâmica sobre o vale onde assenta a pitoresca freguesia do Curral das Freiras, já citada, e também as enormes montanhas do maciço central que a circundam.



Dali,  fomos visitar as instalações dos "Vinhos Barbeito (Madeira) Ldª " onde nos era oferecida uma prova de vinhos.




A prova do vinho da Madeira, no final da visita, foi constituída pelo sêco e doce... daí eu estar com dois copos !!!

Dali descemos a Câmara de Lobos onde pudémos também passear, fazer compras, etc.




Depois do passeio por Câmara de Lobos a excursão regressou à cidade do Funchal, deixou-nos no Hotel e, a partir daí, calcorreámos nós, a pé, para apreciar bem "a zona velha", sita no Núcleo Santa Maria e que, antigamente se tratava de uma zona com ruas pouco aconselháveis, degragadas, mal frequentadas, etc.


Hoje, é aqui que se concentra a maior oferta de bares, restaurantes e também animação nocturna que, sobretudo com os fins de semana, enche aquela zona que só tem paralelo com o Bairro Alto de Lisboa.

Através de apelos às actividades artísticas e iniciativas ligadas à cultura e à juventude deu-se a recuperação e renascimento da dita "zona velha" como poderão apreciar pelas fotos.







Com esta recuperação veio o movimento de turistas a esta zona e, como toda a gente sabe, a Madeira vive do Turismo e mais nada. Algumas actividades tradicionais que estavam já extintas voltaram e é importante que mantenham viva esta rua pois o turista só a começou a frequentar depois das portas terem sido pintadas e... como dizia um habitante do Funchal "se o turista deixar de vir isto morre " !!!

Após uma breve visita à Igreja do Carmo, que dá o nome à rua onde ficava o nosso Hotel, recolhemos, para jantar e descansar pois tínhamos o dia seguinte com outra excursão, jantar típico, etc.

No sábado, pela manhã, lá estava o "trio" prontinho para partir, em passeio...





Saímos na excursão com destino ao Terreiro da Luta, que fica a uma altitude de 720m onde íamos visitar o Santuário da Nossa Senhora da Paz.


Este Santuário é o maior monumento que existe na Ilha da Madeira, devido à sua estátua em mármore, que tem 5 metros de altura.

Este monumento foi erguido depois do grande bombardeamento ao Funchal, em 1917, por submarinos alemães. Nessa altura realizaram uma promessa que, consistia, em que se o clima de paz fosse de novo estabelecido, os madeirenses ergueriam uma estátua em honra à Senhora do Monte. 
10 anos depois estava construída esta estátua, em mármore,  com 5m de altura.



















O pormenor das correntes e as pedras enormes que constituem o rosário ...



Dali subimos para o Pico do Areeiro que fica a 1818m de altitude e é o terceiro pico mais alto da ilha, depodo Pico Ruivo (1861m) e do Pico das Torres (1851m).
Quando as condições de tempo o permitem (o que não foi o caso) avistam-se daqui vários locais da ilha, como a Ponta de São Lourenço, o Curral das Freiras e até mesmo a ilha de Porto Santo. Durante o inverno este Pico e as áreas à volta chegam a ficar cobertos de neve.






Aqui, como podem ver pela foto, no Pico do Areeiro, situa-se a Estação de Radar nº 4 da Força Aérea Portuguesa.























Ainda pudémos apreciar e acompanhar, como se vê nesta foto,  parte de uma das mais duras "Meias Maratona Internacional" em que os concorrentes subiam do Funchal até ao Pico do Areeiro, uma subida com um desnível de 2.000 metros, por estrada até ponto mais alto transitável e também pelo Parque Florestal da Madeira. Eles apareciam-nos por todo o lado ehehehehe ! Percorreram 85 Kms a pé, por trilhos de montanha.
Aliciante para quem procura o radical.

Continuando a nossa excursão, dali fomos até Ribeiro Frio onde parámos num Posto Aquícola para ver as trutas, a paisagem, tomar café e mais qualquer coisa...







A partir daqui íamos fazer uma caminhada de cerca de 40 minutos, por uma levada, através da Floresta Laurissilva o que nos agradou bastante pois pudémos ficar a saber, a perceber o que era uma levada percorrendo e apreciando toda aquela linda vegetação.







Saíndo de Ribeiro Frio com destino a Santana onde seria o almoço, fomos apreciando as belas paisagens onde pudémos ver abacateiros, bananeiras entre outras árvores de fruto e culturas.

Passámos pelo Faial ...







Tivémos oportunidade de apreciar o Kartódromo do Faial que possui uma pista de 1040 metros, com retas, curvas e zonas ténicas que proporcionam uma verdadeira adrenalina a quem o frequenta, rodeado de uma bela paisagem.

Como podem ver pela foto seguinte o Kartódromo está instalado numa das mais belas enseadas da Madeira, zona Norte da Ilha, junto de Santana.


Aqui ainda fizémos uma paragem num miradouro para apreciar as vistas para a grande montanha, Penha d'Águia e tb para uma cratera de vulcão que se avistava daqui.








E lá fomos nós para Santana... Estava marcado o almoço e a visita às casinhas típicas, cobertas com colmo.
Santana deve o seu nome a uma capela em sua honra que tinha o nome de Santa Ana.
Esta povoação surge por volta do ano 1550, com minhotos de BRAGA, norte de Portugal Continental e é por isso que há, para os habitantes locais a alcunha dos "Bragados" !





As casas típicas de Santana são um ex-líbris do concelho de Santana e um cartaz turístico da Ilha da Madeira.
São casas triangulares e são revestidas de colmo. Popularmente são conhecidas por "Casinhas de Santana".


















Ainda em Santana, houve tempo, à tarde, para irmos tomar um café antes de continuar o nosso passeio...
De Santana fomos para Portela onde parámos em mais um miradouro...
Este miradouro oferece também belas vistas sobretudo para o Porto da Cruz, a Penha d'Águia e ainda para uma parte de Santana.




Estava prevista uma visita à Biodiversidade da Quinta do Santo da Serra e lá seguimos com esse destino. 
















Ainda em Santo da Serra se visitou o Clube de Golf Santo da Serra, empreendimento muito bonito, localizado num dos mais belos lugares criados pela natureza, sobranceiro à baía de Machico onde desembarcaram os primeiros marinheiros portugueses.

O campo original, construído em 1937, foi redesenhado em 1991 pelo famoso arquitecto de golf Robert Trent Jones.






Como o Clube de Golf fica a 5 minutos da via rápida para o Funchal, no regresso à cidade pudémos apreciar, de perto, as pistas do aeroporto sobre a água e sobre as vias rápidas por onde passamos ... 








E lá fomos para o Hotel para descansar um pouco pois à noite íamos ter o jantar e espectáculo típico.

O jantar teve lugar no Restaurante Típico "A Seta", na Estrada do Livramento, e foi extraordinariamente agradável. 























A comida regional era óptima, a tradicional espetada com milho frito, bolo do caco, excelente vinhos e num ambiente de animação e diversão, ao vivo, que se recomenda, sem dúvida.






Foi uma noite animada com muito bailinho da Madeira e também uma sessão de fados com uma fadista detentora de uma bela voz. As fotos que vão ver e os videos mostram bem esta animação ...

No Domingo, tínhamos destinado fazer, bem cedo, o passeio pelo centro da cidade, visita à Sé e seu núcleo histórico, principais edifícios, Parque de Santa Catarina, um dos mais populares da cidade, Quinta Vigia, residência oficial do Presidente do Governo Regional, marginal e passeio no Teleférico da Madeira com destino ao Monte.

A viagem no teleférico foi de gritos... A nossa amiga Neli teve medo e não nos brindou com a sua companhia... As vistas eram deslumbrantes !






Depois de chegadas ao Monte, freguesia do concelho do Funchal, inicialmente designada por Nossa Senhora do Monte e de onde partem os célebres carrinhos típicos que descem até ao Funchal, impunha-se a visita ao Santuário com o mesmo nome.












A Igreja de Nossa Senhora do Monte foi edificada em 1818, tem uma fascinante vista sobre o Funchal e está cercada pelas antigas instalações das confrarias e dos romeiros. 




É nesta Igreja que se encontra sepultado o Imperador da Áustria, Carlos Habsburgo, falecido na Ilha da Madeira, em 1922.



Depois da visita aos jardins de muitas fotos ali tiradas caminhámos para o outro Teleférico, aquele que faz a ligação com o Jardim Botânico onde a nossa amiga Neli nos esperava.








No Jardim Botânico passeámos, apreciámos algumas espécies, nada de especial (achei eu, pois não gostei), almoçámos e visitámos o Museu de História Natural.






Depois foi o regresso ao Funchal, em Bus, já as três.

Faltava visitar a nova zona arqueológica que eu não queria deixar de ver e lá fomos antes de ir para o Hotel onde ainda ía ter uma visita de uma amiga minha.






Estes achados arqueológicos que apareceram aquando da intervenção da foz das ribeiras revelaram restos da muralha defensiva do Funchal e Forte de São Filipe.

E estava a acabar o nosso tempo pois íamos nesse final de dia para o aeroporto.

No Hotel, recebi a visita da minha amiga Gaby que lá foi para passar um tempinho comigo e me brindou com um lindíssimo ramos de flores. 
Foi muito bom estarmos juntas e podermos conversar.
Aqui estamos nós...



E pronto, estava chegado o momento do regresso.
Lá fomos para o aeroporto e regressámos ao Continente, felizes e contentes !!!







Todas as fotos, que são muitas... e os videos da noite típica, podem ser vistos clicando   AQUI